A hierarquia das carnes e a colonização do gosto

Carlos Alberto Dória

Programa de aulas

Aula 1

24 de mai. de 2021 — 16h

— A expansão da visão de mundo européia: o Paraíso
— Comer o que o índio come: o mundo da analogías
— A repulsa à galinha
— Aculturação, deculturação

Aula 2

31 de mai. de 2021 — 16h

— Colonização da Amazônia: as carnes da conquista
— As gorduras e o sal

Aula 3

7 de jun. de 2021 — 16h

— A marvada carne e os infinitos bois: Nordeste e Sul

Aula 4

14 de jun. de 2021 — 16h

— Descolonização, preservacionismo e gourmetização do produto nacional




Curso on-line — A hierarquia das carnes e a colonização do gosto

Quando: segundas-feiras, 16h às 18h nos dias 24/5, 31/5, 7/6 e 14/6
Plataforma: Google Meet
Quanto: R$ 350 (depósito ou pix)
A inscrição será confirmada após pagamento



Carlos Alberto Dória

Nasceu em São Paulo, em 1950, e  viveu a infância e parte da adolescência no interior (Araçatuba, Santa Rosa do Viterbo, São José do Rio Pardo, Ibitinga).

Fez o colegial no Colégio Santa Cruz e o curso de Ciências Sociais em parte na Puc-SP e  na FFCH-Usp, onde foi aluno, dentre outros, de Carmen Junqueira, Ruth Cardoso, Duglas Teixeira Monteiro, Gioconda Musolini, Oliveiros S. Ferreira, Francisco Weffort.  Em paralelo, desenvolveu, durante dois anos, a leitura orientada de O Capital com José Arthur Gianotti. Veio a fazer doutorado e pós-doutorado na Unicamp, em Sociologia, onde apresentou a tese  Cadências e decadências do Brasil – a nação à sombra de Darwin, Haeckel e Spencer. No pós-doutorado, estudou Fritz Muller.

A partir de 1976 trabalhou por vários anos na administração pública, tendo ocupado diversos cargos de direção depois da redemocratização do país. A partir de 2000, associou-se a João Sayad, Philippe Reichstul e Francisco Luna em uma empresa de consultoria.

Deu aulas na Escola de Sociologia e Política de São Paulo (anos 1970), na graduação e pós-graduação do IFCH – Unicamp, no período em que lá fez seu doutorado e pós-doutorado.

Como escritor, tem 9 livros publicados a partir de 1991. Especializou-se no estudo da sociologia da culinária.

Livros publicados:

Ensaios Enveredados. São Paulo, Editoria Siciliano, 1991.

Os Federais da Cultura. São Paulo, Editora Biruta, 2002.

Estrelas no céu da boca. São Paulo, Senac, 2006.

Com unhas, dentes & cuca. Pratica culinária e papo-cabeça ao alcance de todos. São Paulo, Senac, 2008.

A culinária materialista. São Paulo, Senac, 2011.

Formação da culinária brasileira. São Paulo, Três Estrelas, 2014.

E-BocaLivre. São Paulo, Edições Tapioca, 2015.

A culinária caipira da Paulistânia. São Paulo, Três Estrelas, 2018.

Manoel Querino – Criador da cozinha popular baiana. Salvador,  P55 Edições, 2020.

O milho na alimentação brasileira. São Paulo, Alameda, 2021.